quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Avaliando com justiça

Saudações, nobres e queridos leitores!!

Eu não falei que voltaria? BWAHAHAHA! Aqui estou eu novamente, com um assunto que já vem me martelando na cabeça há um bom tempo. Mas, antes disso, notícias:

Estou trabalhando novamente no livro 2 \o/! Lutando contra a falta de inspiração (ou será o medo de escrever um livro 2 ruim? XD) e contra o vício em World of Warcraft recém adquirido (culpem Odin!), estou chegando lá!

Agora que as férias começaram mais ou menos, também prometo colocar em dia as leituras que estou devendo a queridos amigos. \o/ Eita, que coisa boa ter que escolher entre várias coisas agradáveis para se fazer XD!

Agora, voltando ao tal assunto. O título da postagem já denuncia: vou falar de avaliações. Avaliações de livros, mais especificamente.

Já reitero aqui que não vou abordar esse assunto exclusivamente por causa do meu livro. Vou abordá-lo  de maneira geral, pensando em todos os livros que já li e em todas as resenhas e avaliações que já encontrei pela internet. São milhares de blogs literários, são estrelinhas de skoob... enfim, a voz dos leitores está aí, ao alcance de escritores e consumidores desse "produto" que nos fascina: *o livro*.

A mensagem que tenho para deixar aqui no blog sobre isso é simples, mas é um conceito que tem guiado todas as minhas leituras. Acho que um dia vi a Melissa, do blog (que precisa voltar!!) Livros de Fantasia, falando algo como "devemos avaliar um livro de acordo com sua proposta". Achei muito bacana. Porque parece algo óbvio, mas muita gente simplesmente não entende isso. 

Vamos tomar como exemplo o meu livro (só porque é mais fácil para mim, ok? XD). Se você olhar para a capa e ler a sinopse, já vai ter uma vaga ideia do que encontrará nele. Se você se der ao trabalho de conhecer o blog e se informar com algumas resenhas feitas de O Enigma da Lua, que estão disponíveis na aba "mídia" ali em cima, já vai saber que é um livro romântico, com fantasia medieval e clima de aventura de RPG. 

Então, se você ler O Enigma da Lua e depois criticar a minha escrita, a forma como eu desenvolvi a história, ou falar que não gostou da forma como o romance foi conduzido, ou dizer que os personagens poderiam ter tais e tais pontos mais desenvolvidos, eu entenderei e farei uma boa reflexão em cima disso. 

MAS, se você reclamar que tinha muito romance, que é um livro de menininhas, que as garotas ou garotos são muito jovens e imaturos, que não tem sangue, que não tem sexo explícito, que o mundo é de um medievo fantasioso, daí, sinto-lhe dizer, você escolheu o livro errado para ler. Ou simplesmente não pesquisou direito sobre ele antes de se aventurar na leitura. 

Claro, é um exemplo exagerado, mas isso acontece com muitos livros, de formas bem piores. Vejam bem, continuando com o meu caso hipotético: o medievo é fantasioso, longe da realidade medieval do nosso mundo? Ótimo, essa era a proposta! Medieval fantasioso e romanceado mesmo. Os personagens são jovens e tem atitudes imaturas por vezes? Sim, mas entenda que a proposta era fazê-los amadurecer ao longo da série (se vou conseguir fazer isso ou não é outra história). Não tem muita violência, se pensarmos que eles entram em combate várias vezes? Bem, a minha ideia era fazer algo um pouco mais épico, mais leve mesmo. Tem muito romance?? Culpada! Essa era a intenção!     

É claro que a pessoa pode até estar com ideias coerentes, mas só dizer "tem muito romance", não é em si uma crítica. Quando criticar, procure explicar o porquê de fazer aquilo. O romance lhe incomodou? Mas por quê? Porque é muito meloso? Porque não convenceu a aproximação repentina dos personagens? Porque não há motivo para que o casal se apaixone? 

Ou seja, para quem estiver a fim de fazer uma crítica mais elaborada, acho que vale essa dica: procure expor argumentos, e seja justo com a proposta do livro. Não diga apenas: "a história é uma droga, os personagens são imbecis". Primeiro, avalie se você leu a obra com a disposição correta. Leu um "O Hobbit" esperando encontrar um "Guerra dos Tronos", ou mesmo um "O Senhor dos Anéis"? Nesse caso, é você que está com expectativas erradas, não é o livro que é necessariamente ruim. Segundo, explique, de preferência com alguma educação (TODAS GOSTA), o porquê de você ter achado que a história é uma "droga" e os personagens são "imbecis". 

Claro que sempre vão existir aqueles que querem simplesmente trollar, mas é a vida, e cabe a nós saber separar o trigo do joio. 

... 

AAAH, consegui chegar ao final de um post!! Bem, espero que leiam, gostem, desgostem, comentem, e etc... 

Um grande abraço pré-fim-do-mundo!

9 comentários:

  1. Eu tenho PAVOR de gente que não sabe resenhar livro. Gente, resenha é criticar um livro dentro da proposta dele (e sim, fui eu que postei aquela frase rs). Reclamar que não tem romance em Guerra dos Tronos ou que Jogos Vorazes não tem personagens fofinhos é tipo dizer que a novela das nove é ruim porque não tem zumbis. rs

    Se o livro é romance, então critique dentro disso. Como o romance foi desenvolvido? Convenceu? Não convenceu. O fato de ser um romance meloso é algo necessariamente ruim pra trama? Ou é meramente seu gosto pessoal? Coisas assim.

    Tem blogs literários aí que nunca postaram uma resenha séria na vida. Preguiça mor, viu.

    Liége, eu também quero o Livros de Fantasia de volta. Acho que essa semana volta. Vamos todos torcer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melissa, concordo com cada palavra sua! Você é muito justa nas suas resenhas, e essa frase sua é muito boa!

      Excluir
  2. Concordo plenamente. As pessoas lêem livros que estão fora dos temas que gostam e daí criticam...nesse caso eu acho que a imparcialidade fica comprometida pelo ódio ao tema sei lá...rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, André. A gente tem que saber separar as coisas quando se propõe a escrever uma resenha ou uma crítica mais séria. Eu, por exemplo, detestei Crepúsculo, mas sempre procurei explicar o porquê. Esse é um tipo de história que não me agrada por vários motivos, mas então eu procuro não ler também.

      Excluir
  3. Pois é... É bem por aí. Sempre existirão aqueles que irão criticar o trabalho dos outros como se fossem os maiorais no assunto (sendo que na maioria, a pessoa não escreve nem 10 páginas, mas sabe criticar que uma beleza).

    Mas é como você disse. Temos que separar o joio do trigo, embora a gente sinta um pouco o baque de ler uma crítica sem argumentos coerentes e que machucam devido à "educação".

    Sei bem como é porque já recebi críticas sobre os meus desenhos que me fizeram repensar em como trabalhar com eles (desenhar apenas para meus livros ^_^)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Gisele, o baque a gente sente mesmo, e muito. Por isso mesmo escrevi esse texto. Acho que não custa nada ser ao menos educado quando se faz uma crítica. E isso não significa ser bonzinho e não falar nada de ruim, significa ser humano e ter ao menos um pouco de consideração com a pessoa que escreveu a obra. Aquela coisa de "faça com o outro o que você gostaria que fizessem com você", sabe.

      Até mesmo críticas educadas podem desanimar a gente, então imagine algo grosseiro. Não é gostoso. Ainda bem que você não parou de desenhar por conta das críticas. Pelo menos a gente que conhece Amberblades não perdeu a oportunidade de conhecer o seu trabalho :D.

      Excluir
  4. Ah! E eu esqueci de comentar sobre WoW XD Eu já joguei e acho que minha caçadora elfa noturna (a personagem principal, já que também tinha minha versão do Yiamarin dos Amberblades por lá) ainda deve estar lá guardadinha caso eu retorne ao jogo. Porém, com toda a correria do dia-a-dia, eu tava pagando e jogando pouco. Nisso, parei de jogar.

    E tá jogando de quê? Horda ou Aliança? XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, tô jogando com tudo XD. Comecei com uma blood elf clériga, e depois peguei uma elfa noturna caçadora também. Foi a raça que eu mais gostei, a cidade de Darnassus é linda, quero morar lá. Já joguei também com uma Tauren druida e com uma Pandaren shaman. E agora estou testando uma paladina humana.

      Mas como eu adoro os night elves, acho que sou da aliança XD... embora também curta a Horda... o mais legal é que os dois lados têm suas coisas boas e ruins... eita jogo viciante!!!

      Com certeza sua caçadora tá guardadinha, a conta fica lá para o caso de você querer reativar. Acho que vou começar a pagar também, porque gostei muito do jogo. Tem que aproveitar as férias mesmo... depois que as aulas voltaram, adeus WoW :(.

      Excluir
  5. Sábias palavras! É realmente importante como dissestes, separar o joio do trigo, mas é fundamental fazer resenhas de gêneros que você aprecie ou conheça bem, porque desta forma, terás algo a acrescentar com suas críticas e elogios. Falando com um pouco de conhecimento e "autoridade" sobre o tema, conseguimos argumentar melhor e realmente promover uma reflexão útil e proveitosa.

    PS: Wolrd of Warcraft pdoe ser jogado de graça, mesmo por aqueles que atualizaram suas contas; basta ativar (no painel de sua conta) a conta "starter" novamente, que será como sua conta wow 2. Você estará novamente sujeito às mesmas restrições de antes, mas é uma boa maneira de se divertir um pouco enquanto sua conta principal continua guardada.

    ResponderExcluir