terça-feira, 16 de abril de 2013

O segredo da princesa



Não era a primeira nem a última vez que ela faria aquilo. Mas toda vez, em todas elas, ela sentia medo.

“Por quê?”

Drimme sempre repetia a mesma questão. Por que sentia medo, sendo que tão poucas vezes experimentara aquela sensação? Mesmo o Nubayan, o ritual que arriscaria sua vida, não chegava a lhe inspirar temor. Desconforto, talvez. Mas , na maioria das vezes, o que Drimme sentia era resignação.

No entanto, ali estava ela. O coração batia forte. As mãos tremiam. Medo.

Estava empoleirada como um gato branco no batente de sua janela, uma das janelas mais altas de todo o palácio. A lua era um disco de prata no céu, e iluminava os bruxuleantes cabelos alvos da princesa. Não fosse pelo feitiço que conjurara, ela poderia ser vista facilmente – mas estava invisível, inacessível para a maioria dos olhos de Nuvara. O vento, naquela altura, era gelado.

Drimme colocou o pé para fora. A sapatilha de seda escorregou levemente, mais pronta para cair em meio ao céu noturno do que quem a usava. A princesa lembrou-se de uma antiga história que sua mãe lhe contara. Uma das Anaïses, enlouquecida pelo próprio poder que não conseguia controlar, quis um dia tomar a lua do céu para si. Em uma noite de plenilúnio, seu desvario tomou forma, e ela se jogou daquela mesma janela, querendo alcançar aquilo que a negavam...

E não era, de certa forma, exatamente isso que Drimme faria?

Precipitou-se. Agora, a única coisa que a impedia de cair eram seus braços, ainda agarrados à solidez do batente de sua enorme janela. Respirou fundo e, como se sentisse que o ritmo de seu coração palpitante havia chegado a um clímax, Drimme por fim deixou que os dedos se abrissem, para enfrentar novamente a queda livre que a transformaria. E se não funcionasse dessa vez?

Ela caia. Mergulhava na escuridão da noite e aproximava-se rapidamente do chão. O peito explodia, o sangue corria rapidamente por suas veias. Cada respiração de Drimme tragava um pouco da magia de sua ilha para si. Ela e Nuvara eram uma só. E naquele momento...

Estava acontecendo. Novamente, os braços tomavam a forma de asas. O peito, as costas, e os membros transformaram-se; surgiram penas, o bico e a cabeça graciosa. Jamais poderia haver uma sensação de liberdade maior para Drimme do que transformar-se naquele animal, o seu guardião, a sua essência.

Um cisne.

Ela era um cisne, e embora não quisesse a lua, também buscaria, naquela noite, o seu desejo mais recôndito.

***
Apenas um conto rápido, que serve como "teaser" do que está por vir no segundo livro. É também uma pequena e humilde homenagem a um poema que gosto muito - Ismália - pois ele inspirou de certa forma a cena que imaginei. 

É, a Drimme tem seus recursos e segredos... XD... o que será que ela estava buscando? Porque se transforma em cisne? Isso vocês saberão em "O Círculo dos Sete", ainda esse ano!

E, se alguém quiser trilha sonora... 

10 comentários:

  1. Amanda Silversong17 de abril de 2013 08:23

    Ai, meu deus, que romântico!!!!! ^^

    E ainda para ajudar, esta música que é uma das minhas favoritas, e da minha banda favorita! Sniff, sniff, não leiam o texto enquanto ouvem a música, ou vão desidratar de chorar igual a boba aqui :(

    Muito lindo, Li!!! Agora fiquei ainda mais curiosa para ler o segundo livro. Por acaso, ela está se transformando em cisne para resgatar o amado dela que está em perigo? Ou será que o amor deles é proibido por ela ser uma Anäise, e ela precisa de um disfarce para vê-lo secretamente? PRECISO SABER!!!

    PS: LOVE POWER RULES ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Amanda, eu também amo essa música, o problema é que raramente consigo ouvi-la sem chorar.. a letra, a melodia...snif!!! Within Temptation rules!

      Mas tinha que colocar no post, porque combina demais XD.

      Hohohoho, quanto às suas hipóteses, não resisto e vou dizer que você acertou em uma delas!! Mas não vou contar qual para não estragar completamente a surpresa!! Uma coisa eu digo, Drimme e seu amado vão passar por poucas e boas, viu...

      SIIIIM, LOVE POWER RULES!!!!!

      Excluir
  2. Amei Li! Um teaser e tanto do segundo livro. Sua escrita está ainda mais envolvente, detalhada e cativante. Já sei q vou me apaixonar pela Drimme qdo eu puder ler o segundo livro rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu estou gostando da Drimme!! Ela tem sido uma personagem interessante de trabalhar! Eu espero mesmo que vocês gostem dela, e que os outros personagens também continuem conquistando! Estou me esforçando para manter e delinear bem a personalidade de todos eles!

      Excluir
  3. Hahahaha, eu sei o que acontecerá!!!

    Mas infelizmente, não posso dizer-vos... Porém, adianto que isto será explicado no segundo livro, e que a trama deste livro está deveras emocionante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Odin. Você é, como sempre, muito gentil nas suas palavras, querido.

      Excluir
  4. Fica chateada se eu disser que este é um conto xamânico? Bem, ele é. Mas você sabe que vindo de mim isso é um elogio... :)

    Concordo com sua amiga Bruna, sua escrita está cada vez melhor! Parabéns e ficamos à espera do segundo livro. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um pouquinho, Ana! Fico é orgulhosa! Puxa, é verdade, ele é xamânico mesmo, né... obrigada pelo elogio, Ana, porque é elogio mesmo. :)

      Eu fico muito feliz de saber que a minha escrita teve alguma evolução e que ela está sendo palpável! Espero que vocês gostem do segundo livro, estou trabalhando para que ele fique bacana.

      Excluir
  5. Adorei o conto \o/ E a música casou perfeitamente com ele... Hehehe ^_^

    Poxa, vida... Tô ansiosa pelo livro 2 *_*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Gisele!! Que bom que gostou... essa música é linda né... e combinou com o conto :).

      Eba, eba, logo, logo o livro 2 fica pronto!

      Excluir