domingo, 28 de julho de 2013

Dois anos de blog!!

Desenho lindo da Gisele Bizarra, que comemorou comigo o primeiro níver do blog, há um ano!
Saudações, meus queridos leitores!

Pois é, hoje é aniversário do blog. Dois anos de O Enigma da Lua, quem diria! Eu nunca imaginei que conseguiria mantê-lo por todo esse tempo, sério mesmo. Mas, aqui estamos \o/

Eu tenho que confessar que esse segundo ano não foi do jeito que eu queria. Poxa, no ano passado tivemos uma comemoração mais legal, com sorteios, prêmios e um mês de julho com quinze postagens! Puxa vida!

No ano passado eu era mais ativa por aqui, comentava mais nos blogs de todo mundo, e escrevia mais o meu próprio livro. Daí veio o colégio, que sacudiu minha vida e me tirou muito do meu tempo e do meu ânimo.

Eu sei que essas coisas não podem ser desculpa. Sei mesmo. Todo mundo trabalha e tem inúmeros compromissos, mas acho que o fato de estar trabalhando com algo que me deixa muitas vezes frustrada influi nisso. Quem é professor sabe como esse trabalho, com ares de "missão", pode nos deixar tristes... como se nosso contínuo esforço não valesse muita coisa ou produzisse resultados muito aquém daquilo que esperamos. Isso em todos os campos, desde o rendimento e comportamento dos alunos até as exigências da coordenação (e aí temos a famosa falta de reconhecimento). O que dá errado invariavelmente vai nos deixar com a pulga atrás da orelha: será que estou fazendo algo de ruim? Será que sou uma boa profissional e um bom exemplo para meus alunos? Será que aquele grito que eu dei no meio da sala não machucou uma criança que está passando por um inferno em casa?

São questões que muitas vezes preenchem o meu dia-a-dia e me afastam das coisas que eu realmente gosto de fazer  XP. A culpa é minha, eu sei. Tenho que saber separar as coisas. 

MAS, mas, esse post não é apenas pra ser um desabafo chato! Eu vou comemorar essa data sim! Nós vamos! Estou com minhas ideias por aqui e quero promover um sorteio no blog nos próximos dias. Só falta, na verdade, ir atrás do prêmio, mas provavelmente será um livro. 

Infelizmente, o meu plano original era sortear "O Círculo dos Sete" no segundo aniversário do blog, mas, como vocês já devem imaginar, não vai rolar. 

Isso me leva a outro assunto: eu estabeleci uma meta. Uma meta de terminar e publicar esse livro até outubro. Deixo registrado aqui porque quero realmente firmar compromisso!

Não é uma meta fora da realidade porque não falta tanto assim para finalizar o livro. E as correções e reformulações podem ser feitas também nesse tempo. Talvez vocês até me digam que eu devo terminar o livro no meu ritmo, sem correria, pois cada um tem o seu tempo. Eu concordo, mas eu me conheço: preciso ser, de certa forma, exigente comigo mesma. Caso contrário, posso deixar a insegurança e o desânimo me abaterem e daí o livro fica de lado quando não deve ficar de lado. Foi por isso mesmo que levei oito anos para finalizar o primeiro XD!

Sendo assim, digo que podem ir se preparando para receber O Círculo dos Sete lá por outubro \o/!! E fiquem atentos porque, nos próximos dias, teremos SORTEIO (eeeeeebaaaaa) por aqui!!

Um grande abraço, pessoal, e MUITO OBRIGADA por estarem sempre por aqui. Vocês não sabem o quanto isso me ajuda a continuar, sempre :).  É algo que não tem preço. 

terça-feira, 23 de julho de 2013

O retorno!

Eu, descobrindo uma loja com meu nome em Nova Petrópolis - RS. UHUL!!
Post bobo, e curto, para dizer que eu volteeeei, volteeii para ficaaaaar...

O retorno foi banhado por lágrimas (minhas). Pois é, Canela e Gramado me fizeram sentir muito em casa dessa vez. Foi inevitável sentir tristeza ao retornar para a cinzenta, urbana e barulhenta Londrina (onde não há potes de nata para se comprar nos mercados, nem chãos de banheiro quentinhos para se pisar, nem cobertores de lã em cima das cadeiras de restaurantes. Nem rodízio de fondue. Nem igrejas lindas feitas de pedra tocando canto gregoriano o dia inteiro. Ou plátanos que espalham suas folhinhas pelo chão.). 

Tudo bem, as coisas são caras demais por lá mesmo. Se ficássemos mais, eu já previa a minha falência e minha obesidade mórbida, culpa dos chocolates, vinhos e queijos que me alimentaram e me alegraram por esses cinco dias de infinitas gordices e alegrias gastronômicas. 

Ao menos fico feliz de poder voltar a postar por aqui! E quem sabe, nessa minha última semana de semi-férias, eu não adiante um pouco mais o livro, não? 

Prometo fazer isso. Logo, logo, eu conto do prazo que estipulei para mim mesma para terminá-lo. Mas deixemos isso para um próximo post! 

Abraços, queridos leitores!

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Top 10 casais - ou "responsáveis por me fazer curtir o poder do amor"

Saudações, meus queridos leitores. Eu acho que hoje farei meu último post antes de partir para uma viagem muito esperada, desejada, conquistada com suor, para Gramado/Canela, no Rio Grande do Sul. Então, a gente vai ficar sem post aqui no Enigma da Lua até dia 21, pelo menos (voltamos no dia 20, mas o final de semana já tem compromissos agendados XD! E eu que achei que ia parar em casa nessas férias... que nada).

Eu estive pensando nesse post desde o dia dos namorados. No dia 12 de junho não tive tempo para escrever, mas hoje resolvi botar a ideia em prática. Bom, todo mundo já sabe o quanto eu sou entusiasta do "poder do amor" (até ganho constantes piadas do meu cunhado por conta disso), e isso desde muito pequena. Sempre gostei de romances e de acompanhar a formação de casais em histórias, mas o engraçado é que eu sou muito fresca peculiar nos meus gostos, então não é todo tipo de história de amor que me agrada. Eu, por exemplo, fujo de comédias românticas como "o diabo foge da cruz".

Enfim, vamos ao que interessa! Hoje estou aqui para eleger os dez casais mais lindos (na minha opinião, diga-se de passagem) de todos os tempos (que exagero, hahahaha). Vale livro, filme, novela de rádio, qualquer coisa mesmo, como vocês verão. Até casais da vida real :). Vamos lá? Com vocês, o TOP DEZ CASAIS (rufem os tambores!!!!):

10 - Mr. Bates e Anna, de Downton Abbey

É muito amor ♥
Mr. Bates e Anna são o casal mais recente dessa lista. Eu comecei a assistir o relativamente famoso "Downton Abbey" há pouco tempo atrás por motivos óbvios: seriado de época, com romance, primeira guerra mundial, diálogos bacanas... enfim, coisas que me interessam.

Qual não foi minha surpresa quando, ao invés de cair de amores pelo casal principal, eu me vi completamente envolvida pela história de dois criados, a gentil e resiliente Anna e o querido Bates. São vários os motivos: eu gosto muito do jeito da Anna, admiro o caráter honrado e a seriedade de Bates, e amo o fato de eles serem um casal que sai um pouco daquele padrão de "jovens e lindos" que vemos o tempo todo em livros, filmes e séries.  Além disso, são daquele tipo de par que faz a gente torcer muito para que eles fiquem juntos. Se amam profundamente e superam obstáculos, mesmo eles sendo muitos. Ou seja, tudo o que a gente quer ver em um bom romance.

9 - Lúthien e Beren/Tolkien e Edith, de O Silmarillion


O principal casal da Terra-Média, embora Aragorn e Arwen sejam mais conhecidos. Lúthien e Beren têm uma história extremamente tocante, e para quem acha que as mulheres não fazem nada na obra de Tolkien, favor ler a história dessa mulher e rever seus conceitos. Lúthien é a única capaz de enfeitiçar Morgoth e faz o deus Mandos voltar atrás em sua decisão de levar Beren dessa para a melhor, comovendo-o. A narrativa é linda demais, o casal é lindo demais, e acho que gosto ainda mais deles por saber que Lúthien foi inspirada em Edith, a mulher de J.R.R. Tolkien. A cena em que Beren vê Lúthien pela primeira vez nasceu depois que Tolkien observou a mulher dançar e cantar em um parque. O túmulo dos dois, aliás, contêm as inscrições "Lúthien e Beren". É lindeza demais, meu coração não consegue ficar impassível. 

Tolkien e Edith, fofinhos!
8 - Shiryu e Shunrei, de Cavaleiros do Zodíaco

Olá. Nos somos fofos demais. 

Eu amo esse casal. Sério. Acho que eles deviam estar em uma posição mais próxima do um, mas tem muitos  casais que eu gosto. 

Animes e mangás tem uma gama enorme de casais adoráveis (na verdade, eu poderia eleger dez casais só de anime), mas por algum motivo, Shiryu e Shunrei me marcaram. A Shunrei aparece pouco e não participa do enredo em si sempre, mas ela e Shiryu formam um casal tão doce que é impossível não gritar KAWAIIIII! quando eles aparecem. O episódio em que Shiryu luta contra o Máscara da Morte é um ápice! Quando Shiryu pensa que o cavaleiro de câncer realmente deu cabo de seu amor de infância, ele fica tão, MAS TÃO louco da vida que é fofo demais. E quando ele fica cego (pela primeira vez) e ela cuida dele? *Suspiros*. E quando eles se despedem?? NHÓIN!!!! 

Fora que o Shiryu é o MELHOR cavaleiro. O cara é legal, gente boa, ajuda todo mundo, é humilde, mas é o mais ferrado no final. Não tem como não gostar dele (o Seiya é um saco!!) E tenho dito!

7 - Presidente Iwamura Ken e Sayuri, de Memórias de uma Gueixa

Gente. MAS gente.
Tanto no filme Memórias de uma Gueixa, quanto no livro, esse casal é adorável. Apesar de a história ser muito triste do ponto de vista da mulher - pelo amor de Deus, as gueixas eram leiloadas - é impossível não se fascinar por todas as informações e rituais que o enredo traz, e Sayuri e o Presidente passam por muita coisa antes de ficarem juntos. Apesar de estarem bastante limitados por suas condições culturais, são duas pessoas boas, de corações sintonizados, e ele faz de tudo para ajudá-la, desde que ela é uma criança. Ela, apaixonada durante toda a sua vida por ele, mal sabe que ele corresponde a esse sentimento - mas está impedido de levá-lo a cabo por lealdade a um amigo. Um clássico que sempre funciona quando bem executado. Os dois atores do filme ajudam - e MUITO - a tornar essa história ainda mais linda.  

6 - Rufus e Alicia, de Valkyrie Profile: Silmeria

O Rufus tá muito novinho aqui, mas tá bom...
Já falei desse casal aqui antes, e eles são de um jogo de Playstation 2. É absolutamente um dos meus casais favoritos. A história deles é linda, tocante, mas esteja preparado: é de destroçar o coração. Mesmo assim, é o tipo de romance que considero mais legal: o romance faz parte da história, do enrendo mesmo (adoro!) de um jeito bem intrincado, a aproximação dos dois é gradual, ambos tem defeitos, mas descobrem, por meio de uma jornada em comum, o quanto se amam. Rufus e Alicia me arrancaram muitas lágrimas e me inspiraram a criar Elora e Laucian. Sem mais. 

VAMOS PARA OS TOP FIVE!!! UHUHUHU!!!

5 - Malfurion Stormrage e Tyrande Whisperwind, de World of Warcraft



World of Warcraft me surpreendeu com seu background extremamente rico e personagens super interessantes. Agora, o que mais me surpreendeu foi ter encontrado, dentro desse jogo, uma das histórias de amor mais bonitas que eu já li: a de Malfurion e Tyrande, líderes dos elfos noturnos. A história dos dois é de fazer suspirar, mesmo porque é muito bem construída; os dois estão envolvidos intimamente com todo o background dos elfos noturnos e participam dos acontecimentos ativamente. Eu confesso que adoro quando a mocinha "resgata" o mocinho ♥. Aqui, temos um desses casos. Lindos! 

4 - Tristan e Yvaine, de Stardust


Stardust! O que dizer de Stardust! Eu, na verdade, só assisti o filme e não li o livro (vergonha, porque a gente em em casa!), mas já sei que o final dos dois é diferente, e eu sinceramente achei o final do filme perfeito. É feliz na medida certa, as resoluções dos conflitos se encaixam perfeitamente.  

Tristan e Yvaine são um casal encantador, tocante, e o discurso de Yvaine para Tristan quando ele está em forma de ratinho me deixa com lágrimas nos olhos. Um bom exemplo de casal que começa brigando e acaba se amando, sem cair para o irritante (porque casal briguento pode ficar beeeeem irritante). Adoro a forma como os dois se apaixonam e Neil Gaiman me conquistou muito com seu encantador conto de fadas sobre uma estrela que cai do céu e se apaixona por um humano. 

3 - Bela e Fera, de A Bela e a Fera



Não há muito o que falar, não? Um casal lindo, atemporal, e que ensina que a verdadeira beleza está no interior. Não, não é cliché, é verdadeiro. Além disso, eu me lembro que, desde pequena, eu gostava muito de A Bela e a Fera porque a princesa de fato conhecia o príncipe antes de se casar com ele! Eu adorava o fato de que o romance dos dois era desenvolvido, e é por isso que Pocahontas e Mulan são meus outros dois favoritos da Disney: só depois, mais velha, eu me toquei que são os três desenhos (dos mais antigos) da Disney nos quais os casais realmente se conhecem antes de ficarem (ou não) juntos.

MAS, a Bela e a Fera tem um lugar especial no meu coração. Os dois partilham uma história linda, de superação e de amor incondicional. Fora que o desenho é magnifíco. O prólogo que conta o que aconteceu com a fera é de arrepiar com aquela trilha sonora, e a cena da transformação é uma das minhas cenas favoritas de todos os tempos. Para quem não lembra...



E, ao contrário de quase todas as meninas na época, eu achava que a Fera ficou um humano muito bonito sim XD.

2 - Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy, de Orgulho e Preconceito

Keira Knightley o caramba!! ESSES são os verdadeiros Darcy e Elizabeth para mim!

Também é desnecessário falar sobre eles. É delicioso ver todos os preconceitos e orgulhos desses personagens caindo e se transformando em uma profunda admiração, que vai virar amor, obviamente. Lembro de ter entrado em contato com Orgulho e Preconceito quando era ainda muito nova, antes que o livro e a história se tornassem uma espécie de "moda" - foi por meio de uma adaptação da BBC, que assisti com minha mãe e irmã no finado canal People and Arts. Foi amor à primeira vista! Fomos atrás do livro, que foi difícil de encontrar, mas achamos e lemos as três! Acabamos totalmente fanáticas pela história.

 E AGORA??? RUFEM OS TAMBORES (ninguém vai ler até aqui, tá muito grande esse post). 

Meu casal favorito não vem de um livro. Vem de um filme que foi detonado pela crítica e do qual nem todo mundo gosta. Mas nunca, repito, NUNCA, um casal me tocou tanto. Abram alas para o número um!!

1 - Ivy Walker e Lucius Hunt, de A Vila

SEM. PALAVRAS.
Ivy e Lucius me marcaram muito. Essa história de amor um tanto diferente me envolveu completamente. Lembro de ter ido ao cinema esperando um filme de suspense/terror com um final surpreendente, e encontrei uma história de amor absolutamente poderosa. Ivy é uma cega de personalidade alegre, expansiva, afável e corajosa. Lucius é fechado, mas completamente abnegado e responsável. Os dois são opostos totalmente complementares, e se amam de uma forma tão delicada, tão verdadeira, que é impossível não se apaixonar pela história deles. Se você não assistiu o filme, vá vê-lo. Além disso, a coragem com que Ivy enfrenta uma situação aterradora (ainda mais por ela ser cega), somente para salvar a vida de quem ama, é absolutamente tocante.

O mais engraçado é que esse filme tem a cena que eu considero a mais romântica de todos os tempos (sério). Ela não tem beijos e muito menos sexo. O contato é absolutamente mínimo, mas há um sentimento intenso nela, de entrega total, de confiança, de fé em quem se ama. Prova de que não é necessário fazer apelação para passar a noção de que duas pessoas se amam no cinema (e em outras mídias também, né). Eis a cena (sabendo-se do contexto, ela fica mais emocionante): 



Linda demais, sensível demais. Maravilhoso como ele não solta a mão dela em nenhum momento depois. Eu sinceramente não entendo como as pessoas odeiam esse filme. E a cena da varanda então? AAAAH!

Enfim, eis que chegamos ao fim do meu extenso TOP 10! Se vocês lerem, adoraria saber quais casais também marcaram suas vidas de leitores/expectadores/jogadores, etc... comentem e contem, pessoal, mesmo que não tenham lido tudo! 

Até mais, queridos leitores! Vejo-os depois do dia 21...

terça-feira, 2 de julho de 2013

Sinopse de O Círculo dos Sete!

Saudações, queridos leitores! Agora que a maratona de correção de cadernos acabou, e que as férias, graças a Deusa, se aproximam, estou com um tempinho a mais para me dedicar ao livro. O final de semana rendeu bastante e eu escrevi várias páginas. Nessa segunda, encasquetei de escrever uma sinopse, finalmente, para ir colocando as coisas nos eixos.

"Mas Liége, você não devia escrever a sinopse por último?"

Sim, de certa forma. Mas o fato é que eu já sei o que acontecerá nesse livro, e eu gosto de escrever a sinopse livre de maiores spoilers. Aquela coisa bem geral mesmo. Não sei se isso é tão  emocionante, mas acho que é melhor para o leitor.

Uma sinopse é algo que me dá uma sensação de organização e comprometimento. Eu sei que é bobo, mas escrevendo-a sinto que estou me encaminhando para a reta final. E posso dar uma palhinha a mais do livro para vocês, né? Hehehe!

Bem, chega de blábláblá e vamos à sinopse de O Círculo dos Sete!


"Sete vidas em um só círculo 
São sete luzes na escuridão 
Sete chamas da esperança, 
Sob o céu e sobre a terra, 
Sob a luz de Nilavin”. 

Depois de descobrirem que o sentimento que os une remonta a um elo antigo e muito mais profundo do que imaginavam, Laucian e Elora perceberam que nada mais seria como antes, e que o perigo estava próximo demais. A única solução era embarcar em uma jornada de rumos, se não incertos, certamente duvidosos. Acompanhados por seus amigos Valenia e Myron, e por um anão de inabalável caráter, Galnor, os dois partiram em busca de um destino poucas vezes encontrado por aqueles que o procuram: a enigmática ilha de Nuvara. 

Um cisne cruza os céus à noite. Um guerreiro humano é atormentado por sombras e traição. Um reino de luz pode estar próximo do fim. Os quatro jovens da pequena cidade de Silena e seu protetor anão começam a descobrir que não só Elora e Laucian estão envolvidos com a maldição que pulsa no continente negro de Rodrom. Inevitavelmente, o círculo dos sete será formado mais uma vez... mesmo que muitos tentem quebra-lo.

***
Bom, e então? Espero que tenham gostado. A sinopse está sim sujeita a mudanças, mas acredito que seguirá esses moldes mesmo. Enfim, comentem e me contem o que acharam!

Abraços, e até breve!