sábado, 18 de julho de 2015

Lidando com as críticas



Saudações, queridos leitores! Como vocês estão? 

Hoje estou aqui para falar de um assunto delicado. Fazia um tempo que eu queria abordar isso no blog e, finalmente, surgiu a oportunidade. Uma série de coisas aconteceu ao longo de todos esses aninhos como autora independente e tudo "eclodiu" nessa postagem. Ela nada mais é do que uma reflexão minha como leitora, escritora principiante e ocasional resenhista/pitaqueira.

Bom, quando colocamos nosso trabalho à disposição do público, estamos sujeitos a sermos lidos e avaliados. Isso é óbvio, eu sei, mas, quando se é um iniciante, acho que o peso dessas avaliações se torna ainda mais emblemático. Eu me lembro de sentir um profundo medo ao saber que alguém estava lendo meu livro, há alguns anos. Era uma ansiedade de me manter acordada à noite. Oras, eu nunca tinha sido lida por ninguém que não fosse meu companheiro. Eu não sabia quais eram os meus erros ou acertos. 

Me lembro até hoje da primeira resenha que O Enigma da Lua recebeu, no blog Viaje na Leitura. Meu coração batia muito forte e eu fiquei com o estômago pesado. Defeitos e qualidades foram apontados e confesso: eu fiquei com vontade de justificar os erros, de explicar as minhas intenções, de "retrucar", por assim dizer. Era uma insegurança que eu ainda tinha e acho (?) que todo autor passa por isso. Felizmente, eu tive sabedoria para me acalmar, refletir e ficou por isso mesmo. Aceitei e comemorei a primeira resenha! 

É muito comum ficar sabendo de confusões que autores iniciantes acabam arranjando com blogueiros e resenhistas quando recebem críticas negativas. Por vezes, o autor chama todo um grupo de amigos que desanda a comentar em postagens e avaliações, chegando a agredir verbalmente a pessoa que resenhou a obra de maneira não tão positiva. É uma atitude péssima porque equivale, basicamente, a uma "birra", uma certa inabilidade de compreender que as pessoas podem não gostar da sua obra ou do que você gosta. Isso vai acontecer uma hora e precisamos, devemos, lidar com isso de maneira decente, sob pena de afastar qualquer potencial leitor se não o fizermos. 

Humildade é essencial, pois precisamos reconhecer nossas limitações e aceitar opiniões diversas. No entanto, embora reprove o tipo de comportamento citado acima, tenho que dizer que consigo compreender de onde vem esse sentimento inflamado. Todos nós amamos o que escrevemos e, de uma forma ou de outra, colocamos nosso coração e nosso esforço em nossos escritos. E acho que todos nós podemos refletir, debater e colocar certas críticas em perspectiva, claro! Mas com elegância, né? XD. 

Bom, digo tudo isso porque, dia desses, eu finalmente tive a minha própria "prova de fogo" XD. Eu nunca tinha passado pela situação de ter uma resenha ou comentário realmente negativo sobre o que eu escrevo. Isso porque tenho poucos leitores, na verdade. Mas sabia que um dia a temida "uma estrela" viria. E veio. Eu sempre achei que não conseguiria não ficar chateada ou que perderia muito do ânimo, mas não foi o que aconteceu. 

Desde que publiquei o primeiro livro, refleti e continuo refletindo bastante sobre a minha escrita. Tenho consciência plena de que tenho muito o que melhorar. Para isso, preciso continuar escrevendo. Sou bastante "sozinha" nesse ofício. Meu único leitor "beta" é o maridão, e eu até já contei com ajuda de amigos escritores, mas acho injusto continuar mandando textos para as pessoas sendo que não posso oferecer uma remuneração ou retribuição decente por uma ajuda tão valiosa (tá, vez ou outra eu leio textos e emito opiniões, mas sempre com aquela sensação de "JESUS, MARIA, JOSÉ, QUE CACIFE EU TENHO PRA MINHA OPINIÃO VALER ALGUMA COISA?"). Sei lá, é da minha personalidade ter MUITO receio de estar incomodando ou sendo inconveniente, porque as pessoas têm suas vidas, trabalhos, etc, etc. Sendo assim, a única fonte de crítica que eu tenho acaba sendo dos leitores mesmo. É por isso que é tão importante saber lidar com esses apontamentos que vêm de surpresa!

Sabe, acabei ficando feliz com minha uma estrelinha. A pessoa em questão se deu ao trabalho de ler E explicar por que não gostou (pensemos bem, ninguém tem a obrigação de justificar por que não gostou, então, agradeço!) e foi educada e sincera. Que problema há nisso? Nenhum. Levarei a crítica em consideração e tentarei melhorar nas próximas vezes. Pronto. Passou! XD 

Quando começamos a sentir tristeza ou desânimo por alguma resenha negativa, acho que a principal coisa a se lembrar é: tem gente que gosta do que eu escrevo e, mais importante, eu gosto do que eu escrevo. Pode não ser perfeito, mas me faz muito feliz. Não, eu não uso isso como desculpa para não melhorar e não acha que críticas, no caso do que eu produzo, são só questão de gosto. Mas eu curto tanto minhas besteirinhas que eu quero melhorar para, um dia, minha escrita estar bacana o bastante para suprir as minhas expectativas E as das pessoas que confiaram em mim e acreditaram desde o início. Porque eu sinto uma enorme gratidão por essas pessoas (SEUS LINDO).

E.... não podemos negar a ninguém o direito de não gostar de algo que escrevemos, de achar ruim, de achar péssimo, detestar. É NORMAL. Digo isso porque já vi muitos casos de autores iniciantes ficando absolutamente coléricos com avaliações negativas e descendo o sarrafo nas caixas de comentários por blogs afora, espadas e canetas em punho XD. Acho que isso reflete uma certa adoração infantil pelo que se escreve, o que não é bom. Claro que existem resenhas que, por vezes, são nada cordiais, cínicas, ou mal educadas mesmo. Claro que existe gente que quer só trollar. Mas é mais produtivo e bom para as tripas simplesmente deixar passar esses casos, respirar, e lembrar que tem gente que gosta das suas histórias. E tem gente que não gosta, mas tudo bem. Bola pra frente. 

Esse post é uma reflexão-desabafo, resultado de anos de exercício mental e de reuniões com um grupo de estudos budista XD. Brincadeiras a parte, lidar com críticas nem sempre é fácil, mas é absolutamente essencial, principalmente quando se lida com o público. E vocês, como lidam com isso? Como se sentem com críticas negativas? Se quiserem conversar nos comentários, será um prazer!


8 comentários:

  1. São sábias palavras, e não estou falando apenas das proferidas pelo célebre filósofo.

    Críticas, mesmo as injustas, fazem parte da vida, e uma das maiores experiências de crescimento que podemos ter é conseguir permanecer inabaláveis e calmos diante de uma crítica pesada.

    É preciso ser sempre humilde e reconhecer que temos muito a aprender. É importante agradecer por críticas construtivas e refletir sobre elas. Contudo, é ainda mais importante não nos tornarmos amargos, inseguros ou irritados por conta de críticas negativas, mesmo quando estas são injustas ou mal fundamentadas conforme nossa visão.

    ResponderExcluir
  2. Eu também já recebi uma estrela, no Skoob (que depois a pessoa, desconhecida, mudou para três - deve ter terminado de ler o livro) e recebi duas, recentemente, junto de uma crítica que não foi exatamente ofensiva mas foi bastante blasé.

    A verdade é que a insegurança bate mesmo, e como bate! A gente gostaria que cada pessoa que lê nosso trabalho agregasse à ideia que fazemos de que, mesmo imperfeito, ele vai agradar. Mas não é assim, não agrada a todos, e alguns gostam de comentar isso, seja porque acham que vão ajudar o autor, a outros leitores ou só pra marcar posição mesmo.

    Acho que você está mais que correta na sua atitude, em procurar filtrar dali aquilo que te ajuda e, principalmente, em não criar caso, não desistir e continuar a fazer boa arte. Estou com você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, eu sempre acompanho seus livros no skoob. Lembro da sua uma estrela que mudou para três e agora li a crítica que você mencionou. Os seus livros são excelentes e mesmo assim ainda recebem uma dessas vez ou outra. Isso só reforça minha ideia de que nada pode agradar todo mundo. Eu gosto muito (muito) do que você produz e acho sua escrita impecável - mas, ainda assim, surge quem não goste. Gosto realmente é indiscutível.

      Sim, tem vezes que as críticas que a gente recebe têm um tom blasé ou condescendente. Acho chato. Definitivamente não é um estilo que eu escolheria para criticar alguma coisa, mas, cada um é cada um. Essa questão de ajudar é complicada. Quer dizer, sim, é claro - óbvio - que críticas ajudam! Temos que recebê-las, com certeza, mas as abordagens que realmente funcionarão variam de pessoa para pessoa e poucos tomam cuidado com isso. O que serve de motivação para um pode não servir para outro, tem gente que cresce e se desenvolve mais com reforço positivo. Eu vejo isso nos meus alunos, uai! E, sinceramente, isso não muda com os adultos não, hahaha. Minha filosofia é que não custa tentar, ao menos, ser gentil (em tudo). É questão de empatia, ainda mais quando também escrevemos. Mas, não podemos controlar as reações e palavras de ninguém. Cabe-nos lidar com isso da melhor maneira possível e ir criando resistência e nos apoiando nos focos de positividade para podermos continuar no nosso caminho sem ter a confiança abalada por demais.

      Temos que filtrar sim, pois não podemos nos furtar de recebermos críticas, mas também não podemos ser paralisados por elas. É um equilíbrio, né? E criar caso, nããão! É péssimo e nada elegante XD!

      Isso mesmo, Ana! Não desistir e fazer boa arte! Esse discurso do Gaiman me emociona de um tanto...

      Excluir
    2. Eu sempre penso: Não dá para agradar todo mundo. Claro, meu "agradar todo mundo" é diferente, com desenhos e informação de meu cenário de rpg, mas eu sempre tento pensar se eu agradei meus patronos. Se meu cliente para desenhos, ou meus jogadores para cenário e regras, estão satisfeitos, então todo o resto é lucro, chance de crescer. E algo eu aprendi: nunca, absolutamente nunca retrucar uma crítica, e sim engolir e aprender.

      Excluir
    3. Diego, realmente, agradar todo mundo é impossível. E nem seria bom. As críticas nos ajudam a crescer e creio que sempre devem ser lidas e ponderadas (retrucar nããããão). Mas, como eu disse: não acho fácil. Ser avaliado é necessário, mas não é bolinho XD.

      Excluir
  3. Amanda Silversong20 de julho de 2015 10:06

    Oie^^

    Lidar com críticas é uma das coisas mais difíceis de se fazer. Todo mundo fala que sabe lidar bem com isso, mas é só na hora que a coisa bate na nossa porta que a gente realmente vê se sabe mesmo ou não.

    Como vocês disseram, é muito importante saber filtrar o que serve e o que não presta porque do contrário, corremos o grande risco de deixar de lado algo de bom apenas por causa de opiniões ruins.

    O que aconteceria se Tolkien e J.K Rowling tivessem dado ouvidos às críticas ruins que ouviram no início de suas carreias?

    Como meu pai diz, a crítica é igual a uma pedra no meio do nosso caminho enquanto andamos. Se você fica com medo de tropeçar nela e não segue adiante, você fica travado e não segue o caminho que deveria. Mas se você vai em frente, pode até tropeçar e cair, mas você vai cair para frente, e nunca para trás. Ou seja, você segue o seu caminho.

    Beijos da Amanda^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, concordo plenamente com você. Lidar com críticas é muito, muito difícil. Sinceramente, eu sei e admito que sou insegura e que minha autoestima não é das melhores, mas ultimamente tenho tentado encarar as coisas do jeito mais leve possível. Já passei muito perrengue por conta de opiniões e julgamentos alheios, isso em todos os aspectos da minha vida. Mas, para minha surpresa, eu comecei a conseguir fazer as coisas.
      Quanto mais o tempo passa, mais eu descubro que a imagem de incapaz que tentaram me passar não era verdadeira. Aliás, ninguém é incapaz. Todos temos nossas habilidades e nosso valor.

      Temos que ter compaixão e paciência com os outros e com nós mesmos. E lembrar que críticas sempre vão acontecer, sempre! Esse exemplo do Tolkien e da J.K. Rowling é muito claro. É até uma questão de humildade: se eles recebem críticas como eu posso esperar não receber?

      Seu pai é muito sábio. Amei a metáfora dele. Mesmo que a gente caia, a gente cai pra frente. E daí é só levantar e continuar caminhando. Vou guardar isso aqui no ♥.

      Obrigada pelas palavras e pelo seu apoio constante. Você sabe o quanto sua presença e amizade são importantes para mim!

      Excluir