segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Promoção na Amazon e o destino de "O Enigma da Lua"

Saudações, pessoal, tudo bem?

É, eu sei, não passo aqui há tempos. Não há outra desculpa que não seja o desânimo e o trabalho, é claro. Mas hoje tenho mensagens importantes a passar, portanto, achei que valia a pena tirar a poeira do blog. 

Bem, primeiramente: pela primeira vez, meus livrinhos entraram em uma promoção da Amazon! Pois é. A Centésima Vida e O Círculo dos Sete, primeiros livros da série O Enigma da Lua, estão apenas R$ 1,99. Se você ainda não conhece e quer dar uma chance, é uma boa hora de fazê-lo. 

Na verdade, é a melhor hora para isso, e eu explico agora o porquê. 

Depois de MUITO pensar e tentar separar realidade X autoestima capenga/negatividade, tomei uma decisão que, creio eu, me deixará mais em paz para trabalhar com a minha escrita daqui para frente. Vamos aos fatos: 

Eu amo minha primeira história. Ela foi o início de tudo e me trouxe tantas, tantas coisas boas que eu nem tenho como enumerá-las. Porém, eu não amo a escrita que a contou, principalmente em "A Centésima Vida". Eu simplesmente SEI que eu posso melhorar as coisas, mas por todo esse tempo eu me convenci de que já havia lançado, de que o "estrago estava feito", portanto, o melhor era deixar como estava. 

(Com isso, eu não quero menosprezar quem já leu e curtiu minha história. Isso não tem nada a ver com os leitores, obviamente, e sim com o meu jeito de ver e lidar com o que eu faço). 

Eu me lembro que já postei aqui que reformularia meu primeiro livro, e muitos me disseram que gostavam dele e não havia necessidade disso. Eu agradeço do fundo do meu coração, porque sei que era verdade o que diziam, e sei que, sem esse tipo de apoio, não teria chegado ao Despertar de Kathul. Vocês fazem muita diferença. Porém, pessoal, eu continuo com aquela pulguinha me mordendo até hoje, e simplesmente não consigo - não consigo mesmo - mais indicar meus livros por aí. Não tenho confiança, não tenho vontade, não tenho energia XD. Por conta da minha escrita, eu não consigo acreditar neles, por mais que outros acreditem. 

Bem. Aí chegamos a outro ponto. As (1d4-1) pessoas que curtiram e acreditaram nesta história já a leram! Vocês comentaram, vibraram, torceram e me fizeram muito feliz. Ultimamente (desde o lançamento do último livro), eu não tenho vendido absolutamente nada na Amazon e muito menos no Clube de Autores. De vez em quando alguém me pede os PDFs por e-mail, mas é bem de vez em quando mesmo. Portanto, acho que é uma boa hora para tirar os livros de cena, deixá-los descansar e depois voltar com  exatamente a mesma história, mas com uma escrita que me deixe um pouco mais em paz, quem sabe. 

Escrever é um hobby (para mim)... mas também é uma profissão. Há muita gente fazendo cursos, se especializando, pagando revisão, diagramação, lutando com financiamento coletivo, caçando editora séria... eu mesma venho tentando fazer isso, dentro dos meus limites. Me dói que alguém pegue meu primeiro livro e desista de tudo que eu vier a fazer por conta de uma escrita mais amadora. E me dói que alguém diga que ninguém em terras nacionais escreva bem por conta de algumas más experiências. Por conta, quem sabe, das palavras mal escolhidas e da narrativa truncada de uma tal Liége B. Toledo (exemplo fictício, mas que pode muito bem acontecer!).

Talvez isso soe como mimimi, mas a verdade é que eu venho tentando resolver as coisas com ações práticas, e creio que esta é a única forma de sanar o meu incômodo e renovar minha vontade de divulgar o que eu faço. Durante setembro, O Enigma da Lua ainda estará disponível normalmente, mas depois, irei retirar os livros da Amazon e do Clube. Não eternamente, é claro! Mas desejo, de coração, fazer novas edições no futuro, pelo menos dos dois primeiros. Os livros merecem este carinho, porque eu gosto muito deles e quero que eles sejam o melhor que eu posso fazer. 

"Ah, Liége, então você vai parar de escrever por enquanto?" Não, nada disso. Continuo firme e forte com Sombra e Sol lá no wattpad que, embora não seja perfeita, é uma obra mais próxima daquilo que eu considero satisfatório para as minhas habilidades atuais (em termos de escrita - as histórias continuam cheias de romance, aventura, elfos e tudo aquilo que eu não vivo sem). Ah, e para quem quiser, deixarei "O Despertar de Kathul" de graça na Amazon na semana que vem. Mas depois falamos sobre isso :). 

Bom, é isso aí. Tentei resumir meus motivos e espero que tenha conseguido ser clara. Eu agradeço a quem chegou até aqui comigo e perdoou todas as falhinhas da minha escrita porque, como eu, amava/gostava da história e dos personagens. Vocês são poucos, mas são demais, e me animam a continuar. 

Um abraço e beijo no coração! 

quinta-feira, 7 de julho de 2016

"O Despertar de Kathul" - apreciação em vídeo!

Saudações, queridos leitores, tudo bem?

Hoje "O Despertar de Kathul", o último livro de O Enigma da Lua, ganhou a apreciação em vídeo da querida Gisele Bizarra, autora da série Amberblades e de outros contos e histórias muito supimpas. Eu fiquei muito contente! Querem saber o que a Gisele achou? Aqui vai o vídeo:




"Este pequeno livro!", hahahahaha! Gente, é verdade, a versão física ficou grande demais.... Jesus! 

Eu confesso que estou me sentindo um pouco culpada por ter te deixado tão angustiada, Gisele! Por outro lado, se você ficou agoniada é porque os personagens e a história te cativaram (assim espero XD) pelo menos um pouco! 

Mas é verdade, o volume final é bastante tenso e cheio de provações (estou pensando em me mudar para o México e levar a minha veia dramática para a Televisa, hehehe, brincadeira). Confesso que foi um livro um pouco mais sofrido de escrever, portanto, sinto a dor dos leitores. 

(Eu prometo que Sombra e Sol é mais alegrinho. Pelo menos eu acho. Não sei.)

Bem, é isso por hoje, pessoal! Muito obrigada pelo vídeo, pela leitura e pelo carinho de sempre, Gisele!

terça-feira, 5 de julho de 2016

Minha experiência com o Wattpad até aqui



Saudações, pessoal! Faz um tempão que eu não passo por aqui, eu sei, mas estive muito atribulada. Todo mês de junho, acontece, no colégio onde trabalho, um evento chamado Festival Cultural, e ele consome nossas almas muito do nosso tempo. De qualquer modo, como estou (finalmente!) de férias, resolvi tirar a poeira do meu amado blog. 

Como quem passa por aqui sabe, eu iniciei uma nova empreitada literária, Sombra e Sol, e desta vez quis publicar a história aos poucos. Para isso, usei o wattpad, uma plataforma de leitura gratuita. Hoje quero contar como está sendo minha experiência. 

Uma das maiores vantagens de usar o wattpad, para mim, foi criar um hábito de escrever sempre e postar toda semana. É um exercício interessante, e eu gosto bastante de me manter produtiva neste sentido. Escrever me dá um prazer enorme, mas é muito fácil ser engolida pelas obrigações diárias e deixar de lado uma atividade que a gente ama, mas que não nos traz nada de "concreto" ou "prático". Porém, confesso que já tenho grande parte da história escrita; para publicar, eu apenas reviso. Vamos ver como vai funcionar quando a parte que já tenho chegar ao fim. 

Outra vantagem foi ter ganhado alguns novos seguidores por lá. É sempre bom, e eu tenho a impressão de que ter "revivido" meu wattpad trouxe alguns novos possíveis leitores. 

Quanto às leituras! Pessoal anda acompanhando? Para ser sincera... não XD, hehehehe (e PELOAMOR, isso não é um choramingo ou uma "cobrança velada", credo! É só honestidade mesmo!). Leituras regulares, por enquanto, só de pessoas próximas - marido lindo, ilustradora linda e amiga linda (Amanda ♥). A coisa começou bem e eu até cheguei a receber comentários de leitores novos, mas depois de alguns capítulos, o pessoal pulou do barco. Não sei se é porque a história foi ficando desinteressante ou se é porque a coisa funciona meio que assim mesmo. Vejo que, na maioria das vezes, os primeiros capítulos das histórias no wattpad têm mais visualizações; depois, a coisa vai rareando. Acho que é normal... 

Não desanimo porque estou acostumada ao interesse restrito (todo mundo tem dificuldade para achar leitores e, vamos e venhamos, eu divulgo pouco e sou muito tímida para falar das minhas coisas fora do blog), mas é preciso manter em mente o mantra "escreva porque gosta, escreva porque gosta, escreva porque gosta...". Uma coisa que me deixa um pouco enfastiada é o spam disfarçado de interesse. São comentários do tipo: "olá, que bela história, parabéns, gostaria que você também conhecesse a minha, é essa aqui...". Olha, gente, eu até entendo a estratégia, e no começo me comprometi a ler algumas coisas, mas depois de um tempo cansa. A gente já batalha com quase nada de visualizações, e as poucas que vêm ainda são spam? Como você quer que leiam as suas coisas se você só entra na história dos outros para fazer propaganda da sua? É mais honesto divulgar de outras formas, sinceramente. Não leio mais um "A" de quem faz isso, sério, me tira as paciências! 

(Caham. Desculpe).

Enfim! Apesar das leituras esparsas, estou animada, porque estou curtindo muito escrever a história. Inclusive, estou pensando em postar outras coisas lá, como o meu romance com ares orientais, "Coração de Areia". Quem sabe eu atinja um público maior? Tenho notado uma certa rejeição em relação à alta fantasia com elementos clichês (tipo elfos, florestas, anões... eu continuo adorando, sou uma mulher de gostos simples XD, mas o pessoal anda enjoado). Ainda que eu tente colocar "bacon no meu feijão", como disse o Rodrigo van Kampen neste texto divertido sobre clichês (adorei o clichê-filme-da-xuxa), nem sempre é fácil atrair as pessoas assim. Bem... só tenho uma coisa a dizer... DEIXE EU FICAR COM OS ELFOS, POR FAVOR! 

Caham. Provavelmente, o problema maior está na saturação e na falta de confiança das pessoas em relação ao meio independente e à plataformas onde TUDO pode ser colocado. De qualquer modo, estudo novas possibilidades com o wattpad. Eu gosto de lá! 

Por fim, indicações! Tem histórias maravilhosas que ando acompanhando ou acompanhei por lá! Por favor, se vocês curtem fantasia, chequem os perfis do Hayachi (A Jornada de Samara é uma joia que merecia ser publicada por uma editora, sério, gente!), do Thales Ferreira, nosso amigo e um escritor supimpa, do meu querido Odin, que colocou contos ambientados em Elgalor lá, e dos já conhecidos por aqui Charles Krüger e Gisele Bizarra, com contos e histórias nota 1000. E tem muito mais gente boa, como a Karen, a Melissa, a Ana Merege... o wattpad tem bastante material legal, basta procurar. 

É isso, gente. Continuamos na luta por aqui, mas sem muitas pretensões, hehehe. Eu curto muito escrever, mas minha ansiedade/fobia social e a ideia de que as coisas nunca estão boas o suficiente (pra algo que eu nem sei o que é) dificulta que eu "meta as caras" por aí e saia divulgando o que eu faço. Mas... quem sabe é verdade que devagar se vai ao longe... 

Abraços e beijos no coração! 


terça-feira, 17 de maio de 2016

A playlist de Sombra e Sol


Saudações, queridos leitores! Pois é, faz mais de mês (acho) que eu não passo aqui, mas voltei e voltei por uma boa causa. Como vocês sabem, minha mais nova empreitada literária está alocada no wattpad e eu ando bem empolgada. Sombra e Sol já tem 143 leituras (tá, eu sei que é pouco, mas, para mim, é o suficiente pra ficar felizinha. Afinal, na Amazon eu basicamente não vendo nada. Então, 143 leituras é muito mais do que eu esperava) e sete capítulos publicados.

Quem me acompanha sabe o quanto eu curto música e também sabe que ela influencia bastante na minha escrita. Eu escrevo as "primeiras versões" das minhas coisas ouvindo música (para revisar/reescrever eu geralmente prefiro o silêncio); é impressionante o quanto a música me ajuda a conhecer melhor meus próprios personagens. Eles geralmente acabam ganhando "temas" (instrumentais ou cantados) e isso muitas vezes funciona como uma "bússola". 

Recentemente, esta anta que vos fala descobriu o maravilhoso (e muy antigo) recurso das playlists no youtube e se empolgou a fazer uma para "Sombra e Sol". Eu comecei a escrever esta história logo depois de terminar "O Despertar de Kathul" (novembro de 2015). Desde então, tenho escutado melodias que me influenciaram bastante. A lista de todas elas seria muito grande; tem uma porção de coisas bem (ou mais) "cheesy", breguinhas, que fazem parte da minha lista secreta de "guilty pleasures" (eu ainda falo sobre isso). Portanto, eu não coloquei tudo; quis selecionar as mais significativas e que tivessem relação mais direta com os personagens e a história. Sem mais delongas, vamos lá:




Dezoito músicas e uma "breve" explicação sobre elas (sem super spoilers, juro!):

1 e 2 - A abertura e a música final da adaptação de "Longe deste insensato mundo/Far from the madding crowd". Um dos personagens de "Sombra e Sol" é filho do Myron e da Valenia (tá, spoiler leve, mas isto não revela o que acontece com eles, né?), cujo "tema" sempre foi esta música, "The Gravel Road". A semelhança entre "The Gravel Road" e o tema de "Far From the Madding Crowd" é grande e me lembro de ter relacionado a melodia ao El, à Lily e a tudo que tivesse relação com a história. Estes são os temas instrumentais de "Sombra e Sol" porque são como "filhos" de "The Gravel Road", o tema de Valenia e Myron, na minha cabecinha XD. 

Fora que é uma música linda, emocionante, e tem tudo a ver com a história. Pronto. 

P.S. Assistam "Far from the Madding Crowd". A mocinha dá nos nervos, mas é um bonito romance de época. Leiam o livro também. 

3 - Danza de Fuoco e Ghiaccio - Rhapsody of Fire - Esta é a música do bardo da história, Dufel (é outro Dufel. Desculpe. Há uma explicação). Tem tudo a ver com ele (é ele cantando, pronto) e seria a música de abertura de Sombra e Sol caso a história virasse uma série de TV/anime, hehehe. Fala sobre a Lua, sobre o Sol, sobre um lobo de olhos vigilantes... é poética, é alegre. Tudo a ver com a história e com o Dufel "falsificado", como o Eladar gosta de falar. Caso encerrado. 

4 e 5 - The one that got away e Poison and Wine - The Civil Wars - estas duas músicas têm letras não exatamente exatas (hahahaha, redundante, eu?) para a história. Porém, elas têm um clima muito apropriado aos "conflitos existenciais" de uma das personagens, a Faena. Quem for acompanhando a história saberá que ela tem tudo a ver com "Oh, if I could go back in time... I wish I never ever seen your face... I wish you were the one that got away" e "I don't love you, but I always will". Bichinha marrenta, esta Faena XD. 

6 - Strangely Beautiful - Amethystium - uma instrumental que tem tudo a ver com Faena, Faedran e a mágica Afeldhun.

7 -With or without you - U2 - "See the stone set in your eyes, see the thorn twist in your side, I wait for you [...] And you give yourself away [...] My hands are tied, my body bruised, she got me with nothing to win and nothing left to lose".  Tudo a ver com o Eladar e eu deixo para vocês a missão de descobrir o porquê lendo XD. (brincadeira, é que se eu conto é spoiler). 

8 - The bioluminescence of the night - James Horner - Tema de Afeldhun, conhecida como "a floresta dentro da floresta". :)

9 - The Cage - Sonata Arctica - um quase tema do personagem Faedran por motivos que vocês terão de descobrir lendo também. "Freedom has a meaning for me [...] Howl with me" :D. 

10 e 11 - Sleepsong e Lullaby - Secret Garden e Josh Groban - Estas aparecem porque, basicamente, temos mamães, papais e filhotes nesta história e estas seriam as músicas que as mães e os pais cantariam para suas crias. ♥

12 - Te tengo miedo - Adriana Mezzadri - uma música que fala sobre uma moça que está querendo afastar seu amor porque tem medo do coração cigano dele (por mais breguinha que isso possa soar), tem tudo a ver com a querida Lyriel. Além disso, esse clima "bárdico" da melodia... aaaah.... até posso imaginar todos dançando em um Festival da Lua Cheia. 

13 - I can't help falling in love with you - Hayley Reinhart - "Wise men say... only fools rush in... but I can't help...". Opa, vamos parar por aqui.

O clássico de Elvis aparece aqui em uma versão feminina suave - mas intensa e cheia de sentimento - que tem tudo a ver com a... Driali? Sim, mas esta não é a Driali de O Enigma da Lua. É outra, uma guerreira ruiva tão sensata e séria quanto a primeira Driali (mas menos sentimental). 

Também tem a ver com a Faena... quem diria. :)

14 - Dark Night of the Soul - Loreena Mckennitt - basicamente, a música de todo mundo que se apaixona nesta história. Porque é tudo meio complicado e vai exigir muita entrega, mas, no final... 

15 - Fear not this night - Asja - esta é uma música de irmãos. Com certeza parece algo que Lyriel e Eladar diriam um ao outro nos momentos difíceis, e parece o jeito como a Olena (logo ela aparece!) fala com a Lyriel em certas cenas da história. 

16 - If we hold on together - cover by Jenn - música muito fofa e que tem cara de encerramento de anime. Eu usaria para este fim, se Sombra e Sol virasse uma animação japonesa. Já imagino cenas dos personagens sentadinhos olhando para as estrelas e vendo o sol nascer, tipo quarto encerramento de Inuyasha. (Sou doente. MEGURU MEGURU TOKI NO NAKA DE :´). Enfim, a letra tem tudo a ver com a história e passa o clima dela certinho. 

"Words are swaying... someone is praying... please let us come home to stay" :´) 

(Peguei um cover porque achei mais suave. Mas também amo a original com a Diana Ross). 

17 - Brothers under the sun - Bryan Adams - Esta música de Spirit - O Corcel Indomável tem tudo a ver com Faedran e com Faena, mesmo ela sendo uma péssima irmã em certo momento desta história. Vocês verão. 

18 - Come away to the water - Esta música foi escrita para o Eladar, sério. De um ponto de vista "vilânico", mas foi. "Come away little lamb, come away to the slaughter... come away, little light, come away to the darkness". Sério, dá até medo. Não, eu não tinha ouvido ela antes de escrever. Nem me lembro como a conheci, mas sei que combina perfeitamente. Brrrr! 

Bem, é isso, pessoal. Espero que esta playlist ajude a instigar certa curiosidade sobre Sombra e Sol. De qualquer modo, foi divertido! Abraços a todos!


quarta-feira, 13 de abril de 2016

Palavra da ilustradora!

Capa linda da Angela Takagui :). 

Saudações, queridos leitores! Como vão? Hoje eu estou aqui para falar de coisa boa!

Como vocês sabem, a Angela Takagui é, além de uma querida amiga, a ilustradora da série "O Enigma da Lua". Quando eu estava começando a tomar coragem de expor meus escritos, lá em 2011, ela foi fundamental para que eu pudesse botar as caras por aqui, apresentando personagens, capa, cenários... eu sempre tive muita vergonha de mostrar o que eu escrevo para os outros (ainda tenho, mas meio que ignoro XD), portanto, o apoio de pessoas próximas foi absolutamente necessário. 

Eu nem imaginava, no início, o tanto de coisas boas que eu ganharia na minha vida por causa de "O Enigma da Lua".  Portanto, chegar ao final com "O Despertar de Kathul" foi algo muito emocional para mim, e acho que isso ficou claro até mesmo na história. Como a Angela esteve presente durante toda essa caminhada e deu rostos e cores aos meus queridos personagens, captando perfeitamente tudo o que eu queria (sério! A sensibilidade dela para sentir o "clima" da coisa é incrível!), as palavras dela sobre o último volume são muito importantes e me deixaram com o coração quentinho ♥. 

Convido vocês a visitarem o Ange Ilustradora e lerem o que a minha super mega-boga ilustradora tem a dizer sobre "O Despertar de Kathul". Eu fiquei muito feliz e emocionada e por isso vim aqui compartilhar com vocês, leitores e passantes do blog. Aproveito para dizer um enorme OBRIGADA de novo. 

Eu e a Angela continuamos aprontando lá no Wattpad, com Sombra e Sol, como alguns já sabem. Já foram dar uma olhada? :) (Tá, parou o jabá. Mas se eu não fizer propaganda, quem fará, né? Desculpa, gente!). 

Um beijo no coração de todos! (Não literalmente XD). 

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Sombra e Sol no Wattpad!



Gente! Como prometido, Sombra e Sol, minha nova empreitada literária, acaba de estrear no Wattpad. Para ler o primeiro capítulo é só clicar AQUI

Um aviso: mudei de ideia quanto à assiduidade. Os capítulos serão semanais. Creio que é mais confortável ler capítulos menores a cada semana do que um grandão a cada quinze dias. Como já tenho bastante coisa pronta, acho que consigo dar conta! 

Por hoje é só! Até breve... 

segunda-feira, 28 de março de 2016

Sombra e Sol, em breve no wattpad!

Eba, finalmente, a capa inteira! Arte lindona da Angela Takagui! Clique se quiser ver maior.
Saudações, queridos leitores! Como eu disse, em breve estaria de volta com a capa e a sinopse da nova história que estou cometendo escrevendo! 

Como eu já disse em postagens anteriores, a história se passará em Edrim e terá relação com "O Enigma da Lua", mas pode ser lida SEM PROBLEMAS por quem não conhece nada da antiga série. Além disso, "Sombra e Sol" vai ser postada quinzenalmente por capítulos no meu wattpad

Bem, eu gostaria de postar semanalmente, mas como o trabalho anda puxado no mundo real, preferi postar capítulos um pouco maiores a cada quinze dias. A história também terá duas temporadas, mas foco na primeira parte, por enquanto! 

Antes de postar a sinopse, vamos à "data de estreia", é claro: 1 DE ABRIL! Dia da mentira! Sacanagem, mas eu gosto de começar as coisas em dias primeiros, então... bom, chega de enrolação! À sinopse: 

CUIDADO! Pode haver spoilers de O Enigma da Lua na sinopse a seguir. (Eu ainda acho que você deveria ler XD). 

Não existem heróis vivendo em Silena. Duas décadas após o confronto que baniu Kathul e seu arcanjo de Edrim, a única coisa que Elora, Laucian, Myron e Valenia desejam é uma vida anônima e pacata na cidade onde cresceram juntos. E Silena é tudo o que eles poderiam querer para seus filhos: uma medida de paz e tranquilidade em um mundo onde as duas coisas estão em constante ameaça. Mas, por mais que eles já tenham sacrificado tanto, a Deusa parece ter outros planos. Em uma noite de Lua cheia, Myron, agora o sumo sacerdote de Silena, desmaia e não desperta mais. Vivo, mas em um estado de coma, o clérigo não pode dizer o que há de errado, para desespero de sua esposa, Valenia, e de seus filhos, Eladar e Lyriel. 

Na mesma época, relatos de uma estranha doença começam a se espalhar por Edrim; a praga, apelidada de Rosa Negra, afeta e mata pessoas em poucos meses. Não há cura aparente, exceto pelo poder estranho que Eladar, um sacerdote como o pai, tem: um tipo de cura muito mais espiritual do que física, uma ligação emocional que alivia qualquer espécie de sofrimento, mas que faz com que o rapaz sofra de convulsões desde pequeno.

Na Floresta da Tempestade, em Afeldhun, a dokalfar Faena se desespera quando seus pais caem vítimas da Rosa Negra; recorrendo a Ma Ulna, o espírito do salgueiro, Faena descobre que a única forma de salvá-los está em um jovem clérigo de Silena. Determinada, parte no encalço do rapaz, no que é seguida por seu irmão gêmeo, Faedran. Faedran sabe muito bem como os dokalfar – elfos negros – são tratados fora de Afeldhun, e precisa se apressar se quiser proteger sua irmã.

Em Silena, Valenia, Elora e Laucian partem para Myriar em busca de respostas, deixando Eladar e Lyriel responsáveis pela casa, por sua prima de cinco anos e pelo pai desacordado. No entanto, a vida dos dois sofre uma reviravolta quando Faena se vê obrigada a sequestrar o irmão de Lyriel, tirando-o de seu lar e da vida que ele conheceu até então. Aos poucos, Eladar irá descobrir mais sobre os dokalfar, sobre seu dom e sobre o que a Rosa Negra e o coma de seu pai têm em comum. O que nem ele nem Faena imaginam é que existe mais alguém atrás do jovem clérigo – e este alguém quer, ou melhor, precisa de sangue. Muito sangue.     

***
É isso aí, gente. Eu espero que vocês curtam, comentem e deem uma chance para uma escritora faminta para esta nova história. De qualquer modo, estou me divertindo bastante com ela e me esforçando para tornar minha escrita mais atraente. Espero que funcione (eventualmente...). 

Até dia 1 de abril!    


quarta-feira, 23 de março de 2016

Em breve... Uma nova história em Edrim!

Oi, eu sou a Dara. 
Saudações, queridos leitores! Como eu disse, voltaria em breve para falar com vocês sobre minha nova empreitada literária. A imagem do post de hoje é mais um pedacinho da capa LINDA que a nossa desenhista favorita, Angela Takagui, fez para essa história.

PORÉM, antes de revelar a sinopse e a ilustração inteira (gente, ficou tão linda. Sério mesmo. Não paro de olhar para ela), cabe ressaltar alguns pontos.

Essa história é uma continuação de “O Enigma da Lua”?

Não. Quer dizer... É e não é. A história se passa em Edrim e vai contar com alguns personagens de O Enigma da Lua. Mas o foco estará em pessoas novas e em suas histórias, pouco relacionadas aos acontecimentos anteriores.

Então, posso ler a nova história sem ter lido a série anterior?

SIM! PODE! DEVE! O objetivo é que TODO MUNDO que queira possa ler. O pessoal que curtiu “O Enigma da Lua” e acompanhou o desfecho dos “quatro jovens de Silena” pode se divertir (ou não XD) com certas referências, com os “reencontros” com antigos personagens... Mas quem nem sabia que O Enigma da Lua existia também pode ler e entender sem problemas. São histórias independentes!

Eu li “A Centésima Vida” e “O Círculo dos Sete”, mas ainda não li “O Despertar de Kathul”. Quero saber se a nova história vai trazer spoilers do fim de “O Enigma da Lua”.

Primeiro: obrigada, pessoa maravilhosa. Segundo: sim, haverá spoilers. Basicamente, você vai saber quem ficou vivo. Portanto, se quiser evitar a leitura até encerrar a primeira trilogia, fica a seu critério J. (Mas, se você conhece meu estilo, já imagina mais ou menos o que aconteceu nesse sentido...).  

Ok, você fica falando dessa nova história, mas onde é que ela vai ser publicada?

No Wattpad, que é (como a Melissa de Sá me informou) a maior plataforma de leitura independente do mundo! Meu objetivo é (tentar) atingir mais leitores e ir “fisgando” as pessoas por meio de uma nova estratégia: a publicação de capítulos quinzenais (ou semanais, ainda estou estudando as possibilidades). Mais informações em breve, mas, por enquanto, você pode ir visitando a minha página por lá!

Portanto, SIM, a história vai estar disponível DE GRAÇA! Mas não pense que isso implica em falta de cuidado e planejamento. Estou trabalhando bastante para que tudo fique nos trinques. Estou trabalhando MUITO para melhorar minha escrita. Portanto, se você até agora não deu uma chance para a minha pessoa, talvez seja um bom momento para conferir o que é que eu faço da vida quando escrevo.

Para quem você recomenda essa nova história?

Para quem curte fantasia com uma pegada mais leve, para quem gostou de “O Enigma da Lua”... quem me conhece sabe, também, que eu sempre coloco romance nas histórias, mas prometo que nada acontece “do nada” e que não existem paixões avassaladoras instantâneas. Tento ser coerente nesse sentido, juro. Basicamente, você vai encontrar uma mistura de aventura/romance/drama (nossa, eu sou péssima para indicar meus próprios escritos, pela Deusa).

***


Enfim, por hoje é só, gente! Em breve volto... com a revelação do título, da sinopse e da capa (QUE ESTÁ LINDA). 

terça-feira, 22 de março de 2016

Em breve no wattpad...


Preciso contar como tudo isso começou.

Não quero falar sobre onde estou, não ainda. Mas acho que vai ser bom escrever. Quem sabe eu tenha herdado um pouco do talento da minha mãe? De qualquer modo, me deixaram estes pergaminhos, uma pena e um tinteiro. O Ceifador tem medo de que eu perca o juízo, por isso mandou os coletores me oferecerem mais uma distração; esta foi a única que eu aceitei. Poderia até rir da “preocupação” dele, se eu também não estivesse com medo. Lua de prata... sim, eu estou com medo.

É por isso que preciso escrever, mais do que quero. Preciso botar tudo para fora, senão sou bem capaz de perder o senso, e não posso me dar ao luxo de ficar louco. Não depois de ele ter morrido para tentar me salvar.

Droga. DROGA. Ainda não consigo falar sobre isso. Dói demais.

A culpa é toda minha, sabe? Não que eu tenha desejado o que aconteceu. Deusa, nunca. Mas se eu não tivesse o sangue que tenho, se não tivesse meu maldito dom, não estaria aqui. E não é só isso. Fiz tudo errado. No começo, fui forçado, mas depois... eu quis ajudar. Eu quis segui-la. Desejei ser útil, ser mais do que um fardo, e este foi o meu erro. Dei a mão a ela, uma estranha, e selei quase uma dezena de destinos além do meu. Puxei um fio e percebi tarde demais que estava desmanchando um tapete inteiro. Que direito eu tinha? Nenhum, mas eu não sabia. Eu queria ajudar.


Só que, como dizem os bardos, de boas intenções o abismo está cheio. 

***
Olá, pessoal! Pois é, estou de volta, e com novidades. Será que algum dos meus 4 leitores consegue identificar quem podem ser aquelas pessoinhas do desenho novo da Angela? Conseguem notar alguma familiaridade? XD. 

Este é o começo de uma nova história. Mas por enquanto, não digo mais... só digo que volto muito, muito em breve :). 

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Divulgando: Nada mais que o normal, da Melissa de Sá

Era para eu ter feito esta postagem há dias, mas, antes tarde do que nunca. Mesmo porque nunca é tarde para divulgar trabalho de gente boa no que faz, né? Vocês devem se lembrar da Melissa de Sá, dona do Livros de Fantasia. A Melissa é escritora e já tem vários projetos que vocês podem conferir AQUI.

A Melissa está com um novo livro sendo publicado pelo Wattpad, uma ferramente de leitura online totalmente gratuita. É a comédia "Nada mais que o normal", uma história sobre a fase mais normal (será? :D) da vida, a adolescência.


Nada mais que o normal, de Melissa de Sá 

Uma comédia (um tanto quanto romântica) sobre a fase mais normal da vida 

Luísa Freitas tem três regras e uma delas diz expressamente: nunca se apaixone. Fora isso, ela quer ser apenas mais uma garota de 15 anos normal, mas quem disse que consegue? Com amigos surtados, uma avó psicótica, pais neurados com tudo e uma mania horrível de fazer piadas internas no Twitter, Luísa só consegue se sentir estranha em vestidos de festa e uniformes escolares. Até que ela conhece Rafael, um garoto de All Star hiperativo que começa a mudar tudo. Nada mais que o normal é a saga bizarra de Luísa que vê sua regra mais importante ser desafiada depois de uma festa de debutante incrivelmente chata. Um garoto escondido num banheiro feminino, referências à cultura pop e uma playlist eclética. Essa é uma comédia romântica sobre a fase mais normal da vida. 

Como os folhetins do século 19, Nada mais que o normal é atualizado semanalmente no Wattpad, a maior plataforma de leitura independente do mundo, 100% grátis. Você pode ler no seu computador ou no celular/tablet baixando o app Wattpad. O mais legal é poder fazer comentários a cada capítulo, votar nos seus favoritos e trocar ideias com outros leitores.

Onde ler?

Link oficial: https://www.wattpad.com/myworks/51546277-nada-mais-que-o-normal (clique AQUI e se joga!)

Sobre a autora

Melissa de Sá é escritora e blogueira. Só tem um pouquinho de medo do escuro, mas escreve sobre ele mesmo assim. Desde 2012 traz suas ideias da gaveta para o público. Esteve presente em diversas antologias, dentre elas Excalibur (Draco), Boy’s Love (Draco) e Piratas (Cata-vento). Sua parceria com a escritora Karen Alvares rendeu duas coletâneas independentes bastante elogiadas na blogosfera: Noites Negras de Natal e outras histórias e Duas Doses de Amor. Também é autora do livro infantil A Última Tourada, que depois de seus 51 mil downloads no site do projeto de mesmo nome, agora está disponível na versão impressa. 

Melissa é de Belo Horizonte, professora de inglês no IFMG e mestre em Literaturas de Língua Inglesa pela UFMG. Administra o livrosdefantasia.com.br, blog referência no gênero na blogosfera, e mantém o mundomel.com.br, seu site oficial onde fala de livros, filmes e música, além de comentar suas publicações. 

Facebook: http://facebook.com/melissadesa89

Instagram: melissadesa1

Twitter: melissadesa

(Gente, não é fofo? Eu ASSEGURO que a Melissa escreve super bem e se você é fã de comédia romântica, O QUE ESTÁ ESPERANDO? VAI LÁ AGORA!!!!).

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Novo blog! (Mas O Enigma da Lua continua!)

Uma mensagem importante fofa para abrir a postagem :)
Saudações, pessoal! Hoje vim aqui dar uma boa nova. Como vocês viram na minha postagem sobre os planos para 2016, eu andava um pouco confusa sobre o que fazer em relação ao blog, agora que a série "O Enigma da Lua" acabou (embora eu continue firme no meu propósito de desenvolver mais histórias em Edrim). Quem me acompanha por aqui desde o começo sabe como eu gosto deste espaço e como ele foi/é importante para mim. O "problema" é que ele acabou se tornando um blog específico para falar dos livros da série "O Enigma da Lua" e de coisas relacionadas a eles. Sim, já trouxe postagens com conteúdos diferentes, mas sempre me parece que a coisa toda fica um pouco deslocada.

Refletindo e matutando muito, finalmente tomei uma decisão. Eu já tentei começar blogs mais genéricos, mas nunca deu muito certo... acho que foi porque das duas vezes em que tentei fazer isso, estava em fases mais conturbadas e as postagens "descambavam" para algo mais pessoal. Não que haja problema, mas creio que nunca foi bem o que eu queria... não quero um blog-diário. Definido isso, fiquei pensando: o que eu quero? Manter O Enigma da Lua? Sim. Mudar o nome dele e transformá-lo em algo mais abrangente? Bem, não. Acho que o blog nasceu assim, com o objetivo de divulgar a série e meus outros escritos, e assim deve ficar. Mas então, o que é que eu queria? 

Bom, queria um espaço onde pudesse continuar falando sobre meus esforços literários, mas também onde pudesse escrever textos sobre música, RPG, animes/mangás, ou seja, onde pudesse falar sobre o que eu gosto. Ou seja, um blog da "escritora Liége" (por mais que eu seja bem reticente quanto a tal título). Não vai ser tão diferente do que eu já faço aqui, mas sei que lá vou me sentir mais livre para postar sobre outros assuntos que não sejam aqueles ligados a "O Enigma da Lua". 

Mas você vai abandonar este blog? 

Não! Este blog continua existindo, e vou continuar postando por aqui. Por vezes, vou postar a mesma coisa nos dois blogs, quando for coerente. Mas "O Enigma da Lua" ficará reservado à série de mesmo nome, seus personagens e assuntos relacionados à literatura. Eu já não ando postando tanto por aqui, mas creio que as postagens ficarão ainda mais pontuais e espaçadas.

O outro blog é tipo um "blog literário"? Você vai postar resenhas de livros nele? 

NÃO! E aí vem outro ponto, gente, outra decisão que eu tomei. Não quero mais fazer resenhas. Nunca me senti confortável fazendo isso, para mim (PARA MIM) é quase uma questão de ética: não me sinto bem avaliando e criticando o trabalho dos outros se eu escrevo. Claro, isso não significa que eu não vá comentar uma coisa ou outra sobre obras que eu leio, mas resenhar, resenhar mesmo, não. Nem tenho capacidade para isso, sério mesmo. Tenho uma baita dificuldade de avaliar obras alheias quanto a ritmo, estrutura, diálogos, vozes, etc. A única coisa que consigo avaliar fora do gostei/não gostei é desenvolvimento de personagens, e olhe lá. CONTUDO, quando eu super curtir alguma coisa, é bem capaz de divulgar e comentar lá no blog novo. Mas não no formato de resenha - é comentário mesmo. 

Então qual é o nome/endereço do outro blog? 

O nome é Letras e Lendas (não, não é criativo)! Cliquem AQUI para visitar. Ainda está em construção, é simples, mas já tem postagem por lá. Vou começar o blog com um.... DESAFIO! Quer saber qual é? Dá um pulinho lá, dá... 

Por hoje é só, gente! Fiquem com a Deusa!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Promoção de Natal e Aniversário do Por Essas Páginas

Saudações, pessoal! Estou super atrasada, mas ainda dá tempo de avisar que o blog Por Essas Páginas completou cinco aninhos no dia 15 de dezembro de 2015 e está fazendo uma super promoção que vai até dia 15 de janeiro agora. Estão rolando vários sorteios super legais, com kits cheios de livros, marcadores e outros brindes. Eu fui convidada para participar dessa folia toda e aceitei, é claro! Tem dois livros da coletânea de horror "Horas Sombrias", da qual participei no ano passado, sendo sorteados por lá! 

Para saber como participar, clica AQUI e se joga!!! Parabéns, Por Essas Páginas! 

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Melhores de 2015

Saudações, pessoal, tudo bem? Eu disse que voltaria antes de 2015 acabar, e aqui estou eu, voltando apenas em janeiro de 2016 (que feio!). Bom, mas antes tarde do que nunca, certo? O blog ganhou alguns novos seguidores, portanto, eu queria fazer uma postagem ultra-mega-boga bacana para convencer todo mundo que vale à pena voltar para cá, mas descobri que a comilança das festas de final de ano e a "modorrência" maravilhosa das férias deixaram meu cérebro embotado. Portanto, não me responsabilizo pelas eventuais bobagens que for postar aqui neste período XD. 

Incapacidades de bolar um post bacana à parte, devo dizer que 2015 foi bastante positivo para mim, por mais que a situação geral seja de tensão. Foi o ano em que minha segunda sobrinha nasceu, o ano em que completei cinco anos de casamento \o/, e também foi um ano extremamente recompensador no colégio. Tive experiências maravilhosas, como ter começado o ano em "pé de guerra" com uma turma e ter terminado o último bimestre com um relacionamento muito positivo com eles, a ponto de ter me tornado uma das professoras que eles mais gostavam (quem é professor sabe o quanto isso é significativo). Além disso, foi o ano em que terminei O Enigma da Lua!

Hoje, no entanto, quero celebrar 2015 de uma forma bem simples: fazendo uma pequena retrospectiva contando a vocês as coisas que mais me agradaram no ano, em termos de entretenimento. Vamos lá?

Melhor leitura: Throne of the Crescent Moon - Saladin Ahmed



Admito. Li pouco, bem pouco este ano, para minha vergonha. Todos os momentos de maior "folga" que eu tive foram usados para escrever, o que acabou me deixando longe demais dos livros. Contudo, estava com Throne of the Crescent Moon no Kindle desde o ano passado. Comprei-o porque a temática de ares árabes muito me interessa e porque estava com vontade de conhecer o trabalho do autor. Encontrei um romance capa-e-espada ágil, divertido, com um bom desenvolvimento de personagens e uma ambientação interessante e bem construída. Meu personagem favorito foi o dervish Raseed, uma espécie de guerreiro sagrado, devoto a um código moral rígido. Os conflitos dele me pareceram muito interessantes (estou notando um padrão? Gosto de personagens com conflitos religiosos e existenciais, sim ou com certeza? Athelstan, é você?), mas todos eles me agradaram muito. Destaque para o protagonista Adoulah, um sexagenário cansado do mundo, mas bonachão e de coração enorme. Um personagem principal carismático e diferente.

Infelizmente, o livro não foi traduzido para o português; li em inglês sem muitas dificuldades, mas precisa ter uma boa base da língua, já que há algumas palavras e expressões mais difíceis. Achei a prosa muito boa e, em vários momentos, poética. Ansiosa pelo segundo volume, A Thousand and One, embora este primeiro livro traga uma história praticamente fechada. Segundo o autor, A Thousand and One sai só no começo de 2017. 

(Obs. Aqui também quase entrou "Doutor Sono", do Stephen King. Mas escolhi Throne of the Crescent Moon porque alta fantasia é meu gênero favorito, e quando o livro me lembra "A Múmia", significa que existe ali algo muito especial :D).

Melhor série - Saint Seiya - Soul of Gold



Não é novidade que eu adoro Cavaleiros do Zodíaco. Adoro mesmo. O enredo das sagas sempre segue o mesmo padrão? SIIIM. Tem furos de roteiro? MUITOS!! Tem humor involuntário? COM CERTEZA!

Consegue me cativar, me fazer chorar e me prender como poucas coisas? ABSOLUTAMENTE!!!

Eu ainda não sei bem qual é a mágica de Saint Seiya ♥. Mas, quando fiquei sabendo que Soul of Gold traria uma saga focada nos cavaleiros de ouro, fiquei muitíssimo empolgada. A série de treze episódios não me decepcionou: é Cavaleiros do Zodíaco do jeito que eu gosto. Infelizmente, não consegui gostar de Saint Seiya Omega, por motivos de Kouga (de Seiya já basta o Seiya, gente!) e porque toda a temática meio "colegial" não me agradou. Eu me senti vendo uma mistura de Saint Seiya e Naruto que não deu certo.

Mas Soul of Gold foi beeeem legal. Conseguiu realizar a proeza de me fazer gostar do Máscara da Morte (o episódio em que ele recupera a armadura me deixou emocionada), e ainda botou Saga e Aioros lutando juntos (vai haver algum momento em que o Saga não precise pedir desculpas para meio mundo, hahahahahaha?). 

Além disso, trouxe a Lyfia maravilhosa dando todo o valor merecido para o Aioria. É, MARIN, EU ESTOU FALANDO COM VOCÊ, QUE SÓ SABE CORRER ATRÁS DO SEIYA!

Posso assistir isto aqui o dia inteiro. You make me proud, Lyfia. 
#TEAMLYFIA

MAIS UM GIF PORQUE SIM:
Derrubar o paquera entorpecido, quem nunca? 
(Obs. Outra série que assistimos e gostamos aqui em casa foi The Last Kingdom, que serviu para amainar minha falta de Vikings - que, aliás, EU ME RECUSO a voltar a assistir. A série retrata os conflitos entre saxões e nórdicos em uma Inglaterra ainda não unificada. Um pouco difícil se acostumar com o protagonista Uthred, mas a gente consegue se apegar ao rapaz depois de um tempo. COMO SEMPRE, meu personagem favorito é o... PADRE. Beocca fofo! Mas Alfred também tá ali, oh, do ladinho. O rei de Wessex me conquistou de vez nos últimos episódios da primeira temporada e eu tenho certeza que serviu de inspiração para o Ecbert de Vikings).


(Obs. 2 - Não assisti Demolidor, Jessica Jones, ou seja, não assisti praticamente tudo que bombou em 2015. Já posso virar meme da diferentona? Mas não foi por "chatice" não, é que andei muito devagar em 2015 XD. E também me falaram que Jessica Jones é bem violento e tem plot envolvendo abuso, então é capaz de eu nem assistir, porque não ando com cabeça/vontade pra essas coisas). 

Melhor filme - Os Últimos Cavaleiros



Tenho um talento inegável para gostar de filmes obscuros que a crítica curte espezinhar (um dos meus favoritos é A Vila... e eu adoro o M. Night. Shyamadksndksn). Os Últimos Cavaleiros é um filme baseado na lenda dos quarenta e sete ronins, ou seja, uma história sobre honra, lealdade, acerto de contas e sacrifício. Pode-se argumentar que o filme não traz nada de novo (eeeeeeh... no problema para mim, sinceramente), mas eu curti pra caramba, como uma boa admiradora de artes marciais, caminho do guerreiro e filosofias afim. As atuações do Morgan Freeman e do Clive Owen estão muito boas, o filme é muito bem feito e me deixou querendo uma continuação.  

***
Em 2016, quero ser mais prolífica. Tem muita coisa para ler (e reler), incluindo trabalhos de amigos escritores. Pretendo me engalfinhar com "Os Verdadeiros Gigantes", do Charles William Krüger, "Inverso", da Karen Alvares, "Anna e a Trilha Secreta", da Ana Lúcia Merege, e "As Memórias Perdidas de Galáxia", da Gisele Bizarra, só para começar. 

E vamos que vamos, novo ano (mas não precisa ir tão rápido que ninguém tá com pressa para as férias acabarem). Um abraço e feliz dia do leitor atrasado para todos!