quinta-feira, 7 de julho de 2016

"O Despertar de Kathul" - apreciação em vídeo!

Saudações, queridos leitores, tudo bem?

Hoje "O Despertar de Kathul", o último livro de O Enigma da Lua, ganhou a apreciação em vídeo da querida Gisele Bizarra, autora da série Amberblades e de outros contos e histórias muito supimpas. Eu fiquei muito contente! Querem saber o que a Gisele achou? Aqui vai o vídeo:




"Este pequeno livro!", hahahahaha! Gente, é verdade, a versão física ficou grande demais.... Jesus! 

Eu confesso que estou me sentindo um pouco culpada por ter te deixado tão angustiada, Gisele! Por outro lado, se você ficou agoniada é porque os personagens e a história te cativaram (assim espero XD) pelo menos um pouco! 

Mas é verdade, o volume final é bastante tenso e cheio de provações (estou pensando em me mudar para o México e levar a minha veia dramática para a Televisa, hehehe, brincadeira). Confesso que foi um livro um pouco mais sofrido de escrever, portanto, sinto a dor dos leitores. 

(Eu prometo que Sombra e Sol é mais alegrinho. Pelo menos eu acho. Não sei.)

Bem, é isso por hoje, pessoal! Muito obrigada pelo vídeo, pela leitura e pelo carinho de sempre, Gisele!

terça-feira, 5 de julho de 2016

Minha experiência com o Wattpad até aqui



Saudações, pessoal! Faz um tempão que eu não passo por aqui, eu sei, mas estive muito atribulada. Todo mês de junho, acontece, no colégio onde trabalho, um evento chamado Festival Cultural, e ele consome nossas almas muito do nosso tempo. De qualquer modo, como estou (finalmente!) de férias, resolvi tirar a poeira do meu amado blog. 

Como quem passa por aqui sabe, eu iniciei uma nova empreitada literária, Sombra e Sol, e desta vez quis publicar a história aos poucos. Para isso, usei o wattpad, uma plataforma de leitura gratuita. Hoje quero contar como está sendo minha experiência. 

Uma das maiores vantagens de usar o wattpad, para mim, foi criar um hábito de escrever sempre e postar toda semana. É um exercício interessante, e eu gosto bastante de me manter produtiva neste sentido. Escrever me dá um prazer enorme, mas é muito fácil ser engolida pelas obrigações diárias e deixar de lado uma atividade que a gente ama, mas que não nos traz nada de "concreto" ou "prático". Porém, confesso que já tenho grande parte da história escrita; para publicar, eu apenas reviso. Vamos ver como vai funcionar quando a parte que já tenho chegar ao fim. 

Outra vantagem foi ter ganhado alguns novos seguidores por lá. É sempre bom, e eu tenho a impressão de que ter "revivido" meu wattpad trouxe alguns novos possíveis leitores. 

Quanto às leituras! Pessoal anda acompanhando? Para ser sincera... não XD, hehehehe (e PELOAMOR, isso não é um choramingo ou uma "cobrança velada", credo! É só honestidade mesmo!). Leituras regulares, por enquanto, só de pessoas próximas - marido lindo, ilustradora linda e amiga linda (Amanda ♥). A coisa começou bem e eu até cheguei a receber comentários de leitores novos, mas depois de alguns capítulos, o pessoal pulou do barco. Não sei se é porque a história foi ficando desinteressante ou se é porque a coisa funciona meio que assim mesmo. Vejo que, na maioria das vezes, os primeiros capítulos das histórias no wattpad têm mais visualizações; depois, a coisa vai rareando. Acho que é normal... 

Não desanimo porque estou acostumada ao interesse restrito (todo mundo tem dificuldade para achar leitores e, vamos e venhamos, eu divulgo pouco e sou muito tímida para falar das minhas coisas fora do blog), mas é preciso manter em mente o mantra "escreva porque gosta, escreva porque gosta, escreva porque gosta...". Uma coisa que me deixa um pouco enfastiada é o spam disfarçado de interesse. São comentários do tipo: "olá, que bela história, parabéns, gostaria que você também conhecesse a minha, é essa aqui...". Olha, gente, eu até entendo a estratégia, e no começo me comprometi a ler algumas coisas, mas depois de um tempo cansa. A gente já batalha com quase nada de visualizações, e as poucas que vêm ainda são spam? Como você quer que leiam as suas coisas se você só entra na história dos outros para fazer propaganda da sua? É mais honesto divulgar de outras formas, sinceramente. Não leio mais um "A" de quem faz isso, sério, me tira as paciências! 

(Caham. Desculpe).

Enfim! Apesar das leituras esparsas, estou animada, porque estou curtindo muito escrever a história. Inclusive, estou pensando em postar outras coisas lá, como o meu romance com ares orientais, "Coração de Areia". Quem sabe eu atinja um público maior? Tenho notado uma certa rejeição em relação à alta fantasia com elementos clichês (tipo elfos, florestas, anões... eu continuo adorando, sou uma mulher de gostos simples XD, mas o pessoal anda enjoado). Ainda que eu tente colocar "bacon no meu feijão", como disse o Rodrigo van Kampen neste texto divertido sobre clichês (adorei o clichê-filme-da-xuxa), nem sempre é fácil atrair as pessoas assim. Bem... só tenho uma coisa a dizer... DEIXE EU FICAR COM OS ELFOS, POR FAVOR! 

Caham. Provavelmente, o problema maior está na saturação e na falta de confiança das pessoas em relação ao meio independente e à plataformas onde TUDO pode ser colocado. De qualquer modo, estudo novas possibilidades com o wattpad. Eu gosto de lá! 

Por fim, indicações! Tem histórias maravilhosas que ando acompanhando ou acompanhei por lá! Por favor, se vocês curtem fantasia, chequem os perfis do Hayachi (A Jornada de Samara é uma joia que merecia ser publicada por uma editora, sério, gente!), do Thales Ferreira, nosso amigo e um escritor supimpa, do meu querido Odin, que colocou contos ambientados em Elgalor lá, e dos já conhecidos por aqui Charles Krüger e Gisele Bizarra, com contos e histórias nota 1000. E tem muito mais gente boa, como a Karen, a Melissa, a Ana Merege... o wattpad tem bastante material legal, basta procurar. 

É isso, gente. Continuamos na luta por aqui, mas sem muitas pretensões, hehehe. Eu curto muito escrever, mas minha ansiedade/fobia social e a ideia de que as coisas nunca estão boas o suficiente (pra algo que eu nem sei o que é) dificulta que eu "meta as caras" por aí e saia divulgando o que eu faço. Mas... quem sabe é verdade que devagar se vai ao longe... 

Abraços e beijos no coração!